Empresária é denunciada por trabalho escravo por prender empregada em área de serviço

14 de maio de 2018, 16:52

Por submeter uma empregada doméstica a trabalho escravo, uma empresária foi denunciada pelo Ministério Público Federal (MPF). Segundo a ação, a empresária trancou a empregada em uma área de serviço do apartamento em Copacabana, no Rio de Janeiro, por uma semana, sem alimentação. A empregada foi submetida a trabalho degradante entre dezembro de 2010 e fevereiro de 2011. Na época, a trabalhadora chegou a adoecer e, de acordo com testemunhas que fazem parte da denúncia, a empresária considerou que, se a empregada não podia trabalhar, também não poderia receber salário ou comer. O MPF afirma na ação que a empregada e outra doméstica eram constantemente xingadas no apartamento e proibidas de sentar no sofá da sala para assistir TV. Caso sentassem, eram obrigadas a passar álcool no estofado. A vítima era submetida a jornada de trabalho exaustiva, das 7h às 00h, sem descanso semanal. A vítima foi levada de Brasília para o Rio de Janeiro pela empresária. Para evitar que a trabalhadora fosse embora, a denunciada alegava uma dívida em função da venda de móveis. Dizia também que ela tinha quebrado objetos e manchado roupas, o que seria descontado do seu salário. O MPF também afirmou que a empresária dizia que qualquer bandido no Rio de Janeiro bateria na empregada por R$ 50 ou R$ 100. O caso foi denunciado pelo Ministério Público em 2014 e a Justiça do Rio de Janeio encaminhou a denúncia para a Justiça Federal. Em abril desse ano a ação foi então remetida ao Ministério Público Federal, que também denunciou o crime.

Foto: Reprodução/ TV Globo

Bahia Notícias

DIVULGUE A NOTÍCIA

FACEBOOK

INSTAGRAM